Ramadã em Dubai : Dicas para os viajantes

Visitar a cidade durante o período é uma oportunidade de conhecer melhor a cultura local

 Ramadã é um mês sagrado para mulçumanos. Trata-se do nono mês do calendário lunar islâmico que, em 2024, acontecerá entre 11 de março e 9 de abril. Para os mulçumanos, este é um período de consciência espiritual, que, segundo a tradição, comemora a revelação dos primeiros versos do Alcorão ao Profeta Muhammad.

Por isso, durante o período, praticantes da religião jejuam durante o dia, começando logo após a Suhoor, refeição realizada antes do nascer do sol, e terminando com o Iftar, logo após o pôr do sol. O jejum do Ramadã é acompanhado de orações e tempo dedicado aos entes queridos. É comum que familiares e amigos se reúnam para comerem o Iftar.

Muitos viajantes ainda têm dúvidas sobre viajar para países islâmicos durante esse período. Mas, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, os visitantes podem aproveitar as atrações turísticas como em qualquer época do ano, além de terem a oportunidade de conhecerem melhor a cultura local.

Estabelecimentos como restaurantes e lojas permanecem totalmente abertos durante o Ramadã, não impactando o planejamento de viagem. Inclusive, alguns locais têm horários estendidos para que as pessoas possam fazer compras, socializar e passear depois do desjejum.

Além disso, a época é oportuna para quem deseja conhecer melhor a cultura dos Emirados Árabes Unidos, pois, durante o Ramadã há eventos culturais em toda a cidade. Uma das melhores maneiras de se fazer isso é participando de um dos tradicionais Iftars, quebra de jejum após o pôr do solda cidade como o do Ninive, no Jumeirah Emirates Towers, que custa 283 Dirhams (cerca de 384 reais) por pessoa incluindo uma seleção de sucos especiais, ou do Asateer Tent, que oferece um menu a partir de 270 Dirhams (aproximadamente 360 reais) por pessoa ambientado em uma tenda em um dos hotéis mais icônicos de Dubai, o Atlantis, The Palm. Para uma experiência ainda mais autêntica, é possível desfrutar de um Iftar no deserto como, por exemplo, no Al Khayma Camp a partir de 350 Dirhams (472 reais) por pessoa ou no hotel Bab al Shams, a partir de 399 Dirhams (538 reais) por pessoa.

Visitantes também podem conhecer o Museu Etihad, dedicado à história dos Emirados Árabes Unidos que, nesta época, conta com uma programação especial. Também é possível aprender sobre as tradições e costumes dos EAU no Sheikh Mohammed Centre for Cultural Understanding (SMCCU) onde, durante o Ramadã, os visitantes podem experimentar como é este mês para os locais, uma experiência que inclui a quebra do jejum com um delicioso Iftar e um passeio pela mesquita, onde os anfitriões explicam como e porque os muçulmanos rezam.

Para quem tem dúvidas sobre como demonstrar respeito à cultura local, uma sugestão é usar roupas discretas, que cubram os ombros e os calcanhares, e evitar se alimentar em ambientes com pessoas que estão praticando o jejum.

Sobre o Autor

Related posts

Leave a Comment