Descubra as belezas desconhecidas de Salta, no coração da Argentina!

Viaje além das rotas tradicionais e desvende o encanto cultural, histórico e natural desta região extraordinária no noroeste argentino

 No coração do noroeste argentino, a província de Salta se apresenta como um tesouro escondido aguardando ser descoberto por viajantes intrépidos. Além das rotas tradicionais, a capital com o mesmo nome apresenta uma riqueza cultural, paisagística e histórica que cativa aqueles que se aventuram a explorá-la; desde majestosas montanhas até pitorescos vales, cada região possui seu próprio ícone.

Nos Valles Calchaquíes, a Reserva Municipal Quebrada del Rincón se esconde, um tesouro natural que desafia as expectativas, a apenas 15 km da cidade de Seclantás. Este fascinante acidente geográfico é um testemunho silencioso da grandiosidade da natureza, com sua singular morfologia de curvas de cor vermelha intensa, pintando uma cena única. Este lugar não é apenas uma maravilha visual, mas também uma ligação com o passado pré-hispânico. Durante séculos, foi lar de culturas antigas, e explorar este local é como fazer uma viagem no tempo. A propriedade é privada, então o acesso é feito por excursões previamente reservadas, que utilizam veículos 4×4 e depois envolvem cerca de quatro horas de caminhada de nível médio até chegar à quebrada.

À beira da icônica Ruta 40 e a 169 km da capital provincial, a cidade de Seclantás oferece acomodações, serviços e guias locais. Na vastidão do deserto andino de Salta, encontra-se o Tolar Grande. Cercado por imponentes montanhas e extensos salares, este pequeno povoado é como um oásis no meio da aridez. O Salar de Arizaro, um dos maiores salares do mundo, se desdobra criando uma paisagem surreal que convida os visitantes a se perder na imensidão do entorno.

Tolar Grande não é apenas um deleite para os amantes da fotografia, mas também abriga o famoso Cono de Arita, uma formação geológica única que se eleva no horizonte como um monumento natural. Além disso, alguns quilômetros antes de chegar a Tolar Grande, é possível apreciar os incríveis Ojos de Mar no meio das salinas à beira da estrada, onde foram descobertas há algum tempo as bactérias vivas mais antigas que deram origem à vida no planeta. O “Ojo de Mar” é uma pequena lagoa no meio do salar, resultado dos cursos d’água que afloram no local. A água vem da Serranía del Macón e, portanto, é doce, mas ao misturar-se com a crosta de sal, torna-se salgada.

A Quebrada de San Lorenzo, localizada a apenas alguns minutos ao norte da cidade, oferece uma escapada serena onde a natureza se funde com a hospitalidade local. Um cenário onde a exuberante vegetação dá lugar a imponentes formações rochosas e riachos cristalinos. É um tesouro de biodiversidade, lar de aves exóticas e flora autóctone, criando um ambiente mágico para os amantes da natureza. Além disso, a cidade de Villa San Lorenzo oferece pousadas encantadoras e restaurantes com gastronomia local, enquanto se desfruta de vistas panorâmicas incomparáveis.

O Museu de Arqueologia e Alta Montanha (MAAM), localizado no centro de Salta, guarda uma descoberta arqueológica única: três crianças mumificadas encontradas durante uma expedição ao Vulcão Llullaillaco. Esta descoberta fazia parte de um ritual em que os incas, que não acreditavam na morte, mas sim na passagem para o além, deixavam suas oferendas aos deuses e ornamentos em montanhas ou vulcões, chamados de Apus ou Santuários de Altitude. Os corpos são exibidos individualmente para evitar deterioração e são uma atração imperdível para todos que visitam a capital salteña. Ao se aventurar além das rotas convencionais, os viajantes descobrirão a riqueza cultural, histórica e natural que define Salta como um destino excepcional no noroeste argentino.

Mais informações: www.visitsalta.ar


(foto: divulgação/redescobrindo)

Sobre o Autor

Related posts

Leave a Comment